Passeio no Trem da Serra da Mantiqueira em Passa Quatro, Minas Gerais

Locomotiva 332, na estação de Passa Quatro, sendo preparada para passeio no Trem da Serra da Mantiqueira - Foto: Amandina Morbeck.

Locomotiva 332, na estação de Passa Quatro, sendo preparada para passeio.

Quando cheguei no domingo de manhã à estação de Passa Quatro para o passeio no Trem da Serra da Mantiqueira, fui direto à bilheteria para pagar e retirar a passagem. Eu havia feito a reserva pelo telefone, ligando de São Paulo, e ela estava lá, esperando por mim – simples assim. A simpatia da atendente foi uma ótima recepção ao passeio que começaria dali a pouco.

Bilheteria da estação em Passa Quatro - Foto: Amandina Morbeck.

Bilheteria da estação em Passa Quatro.

A locomotiva (popularmente chamada de Maria Fumaça) 332, que puxa até dois vagões de madeira com capacidade para 60 passageiros cada um, já estava na plataforma à espera das pessoas. Elas chegavam aos poucos e a maioria ia até a frente da locomotiva para vê-la e também para tirar fotos.

Vagões na estação de Passa Quatro para o passeio no Trem da Serra da Mantiqueira - Foto: Amandina Morbeck.

Dependendo do número de passageiros, a locomotiva puxa um ou dois vagões.

Vozes, risadas, gritos de crianças e as músicas sertanejas cantadas por um violeiro e um sanfoneiro misturavam-se ao som da caldeira e, logo, aos primeiros apitos, convidando os passageiros a tomarem seus assentos. Minutos depois, saímos da estação.

Música sertaneja ao vivo na estação em Passa Quatro - Foto: Amandina Morbeck.

Música sertaneja ao vivo na estação em Passa Quatro.

Cruzamos o centro de Passa Quatro com o apito e o sino da locomotiva chamando a atenção de todos e, vagarosamente, fomos deixando a cidade para trás. Ao longo da ferrovia, adultos e crianças sorridentes acenavam e fotografavam, deixando esse passeio, com gosto de volta no tempo, ainda mais festivo. Na zona rural, a ferrovia é cercada por morros, pequenas propriedades e muito verde.

Paisagem vista do trem durante o passeio no Trem da Serra da Mantiqueira - Foto: Amandina Morbeck..

Paisagem vista do trem.

O trajeto

Estação Coronel Fulgêncio, palco histórico da Revolução Constitucionalista de 1932. Passeio no Trem da Serra da Mantiqueira - Foto: Amandina Morbeck..

Estação Coronel Fulgêncio, palco histórico da Revolução Constitucionalista de 1932.

O trajeto é curto, apenas 10 km, e tem duas paradas: uma na estação Manacá e outra na estação Coronel Fulgêncio, de onde a locomotiva retorna. A poucos metros dela fica um túnel de 997 m de extensão exatamente na divisa de Minas Gerais e São Paulo. Ali, aconteceu uma batalha entre mineiros e paulistas durante a Revolução Constitucionalista em 1932; Juscelino Kubtischek (JK), médico-capitão na época, foi convocado para atender os soldados mineiros feridos em luta na Serra da Mantiqueira e morou em Passa Quatro.

Túnel de 970 m de extensão na divisa dos Estados de MG e SP - Passeio no trem da Serra da Mantiqueira - Foto: Amandina Morbeck.

Túnel de 970 m de extensão na divisa dos Estados de MG e SP, palco da Revolução Constitucionalista de 1932.

Atualmente, o túnel está fechado para trânsito de locomotivas, mas conforme informação da guia que nos acompanhou, ele será reaberto em breve, quando uma locomotiva a diesel o cruzará, levando os futuros passageiros até o outro lado dele, de onde deverá retornar.

O Trem da Serra da Mantiqueira é operado pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) e o passeio é acompanhado por guias que informam sobre os detalhes históricos do roteiro e embalado ao som de músicas sertanejas tocadas por um violeiro que, quando há dois carros, sobe a serra em um e desce no outro.

O som ambiente no vagão é feito ao vivo pelo violeiro. - Foto: Amandina Morbeck.

O som ambiente no vagão é feito ao vivo pelo violeiro.

Esse é um roteiro divertido que pode ser feito por pessoas de todas as idades. Na estação Coronel Fulgêncio, quem não quiser ou não puder caminhar até o túnel não é obrigado(a) a fazer isso e pode ficar na estação assistindo as manobras da locomotiva para o retorno à cidade.

Veja o vídeo do trajeto

 

Detalhes sobre o passeio no Trem da Serra da Mantiqueira

Duração: 2 horas
Saída: estação de Passa Quatro – Av. Benedito Valares, 159
Dias e horários: sábados às 10h e às 14h30 e domingos às 10h
(há horários extras em feriados e datas comemorativas)
Informações e reservas pelo telefone (35) 3371-2167 (horário comercial e fins de semana)
Valor da passagem (em setembro/2013): R$ 35,00/pessoa

Distância de Passa Quatro para:
São Paulo: 248 km / Rio de Janeiro: 253 km
– Belo Horizonte: 438 km / – Paraty: 171 km

 

Curiosidades

Estação Coronel Fulgêncio e as minisséries da Globo

Estação Coronel Fulgêncio - Foto: Amandina Morbeck.

Mostra fotográfica na estação Coronel Fulgêncio.

– Cenas finais de Mad Maria (2005) foram filmadas ali.

– Para dar mais veracidade, parte das cenas da Revolução Constitucionalista de 1932, mostradas em JK (2006), foram filmadas no e no túnel da Mantiqueira, onde os eventos realmente aconteceram.

Exposição com fotos da minissérie Mad Maria na estação Coronel Fulgêncio - Foto: Amandina Morbeck.

Exposição com fotos da minissérie Mad Maria na estação Coronel Fulgêncio.

No pequeno saguão da estação há exposição fotográfica que mostram atores e cenas dessas minisséries (e também de máquinas e de carros recuperados pela ABPF e da revolução de 1932).

 

A locomotiva 332

A locomotiva 332 e os dois vagões no percurso até a estação Coronel Fulgêncio durante o passeio no Trem da Serra da Mantiqueira - Foto: Amandina Morbeck. .

A locomotiva 332 e os dois vagões no percurso até a estação Coronel Fulgêncio.

Construída em 1925 pela empresa americana Baldwin Locomotiva Works, a locomotiva 332 traciona dois carros de passageiros feitos em madeira, em 1956, nas oficinas da Estrada de Ferro Central do Brasil em Belo Horizonte.

 

A Estrada de Ferro Minas e Rio e a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) – regional Sul de Minas

Parte dos 10 km preservados da antiga The Minas and Rio Railway - Foto: Amandina Morbeck.

Parte dos 10 km preservados da antiga The Minas and Rio Railway.

A Estrada de Ferro Minas e Rio (The Minas and Rio Railway), inicialmente batizada de Estrada de Ferro Rio Verde, começou a ser construída em abril/1881. Em junho/1884, seus 170 km foram abertos ao tráfego, ligando Cruzeiro (na verdade, no Estado de São Paulo) a Três Corações do Rio Verde, sob a concessão de uma companhia inglesa, que a devolveu ao governo brasileiro em 1902.

Sem investimento para manutenção, aos poucos a ferrovia, as locomotivas e os vagões foram sucateados. Dos 170 km, apenas 20 km continuam em operação, mantidos pela ABPF – dos km 24 ao 34 com o Trem da Serra da Mantiqueira em Passa Quatro e dos km 80 ao 90 com o Trem das Águas, ligando São Lourenço a Soledade de Minas. O trecho entre os km 60 e 80, de São Sebastião do Rio Verde a São Lourenço, está sendo reparado.

A locomotiva 332 foi restaurada pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) - regional Sul de Minas - Foto: Amandina Morbeck.

A locomotiva 332 foi restaurada pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) – regional Sul de Minas.

Cada vez que compramos uma passagem para esses passeios, contribuímos para a preservação da história das ferrovias no nosso país, tarefa difícil que a ABPF Brasil, fundada pelo francês Patrick Henri Ferdinand Dollinger e com sede em Campinas, começou a fazer em 1977.

Saiba mais sobre a ABPF Sul de Minas clicando aqui.

Agradeço a Bruno Sanches, da ABPF Sul de Minas, pela revisão das informações fornecidas neste post.

Conheça o Refúgio Serra Fina no município de Passa Quatro.

(Texto, fotos e vídeo: Amandina Morbeck)


Receba nossas novidades por e-mail. Para isso, é só preencher seus dados abaixo e clicar em “Enviar”. Ficaremos contentes de ter você em nossa lista!


Comments

comments