Como organizei para fazer o trekking no Circuito W em Torres del Paine, Chile

Mapa parcial do Chile para ilustrar o post Como organizei para fazer o trekking no Circuito W em Torres del Paine - Foto: Divulgação.

Mapa parcial do Chile, com destaque para a pequena área, no sul, que conheci um pouco – Foto: Divulgação.

Vou lhe contar como organizei para fazer o trekking no Circuito W em Torres del Paine.

Viajar é um dos grandes prazeres na minha vida, seja para lugares no Brasil ou no exterior, e cada viagem exige planejamento. Se for para ficar longe da civilização, respirando ar puro e em contato bem próximo com a natureza, melhor ainda. Não que eu não viaje para grandes cidades, mas me sinto melhor e mais integrada em ambientes naturais.

Na minha lista de lugares assim para visitar, estava o Circuito W. Depois de muitas pesquisas, de conversas com pessoas que fizeram o trekking e de juntar um dinheirinho, convidei 3 amigas e comecei a organizar tudo. Essa parte de planejar e organizar as viagens fica sempre sob minha responsabilidade e adoro fazer isso, pois começo a viajar antes. Naturalmente que, no destino, é possível mudar o planejamento, mas sair de casa sem saber direito para onde vai, onde vai ficar, o que pode ser feito no lugar etc. não é uma boa estratégia.

Indicações em Torres del Paine - Foto: Amandina Morbeck.

Indicações em Torres del Paine – Foto: Amandina Morbeck.

Por não querer que ficássemos acampadas, mesmo porque para 2 das minhas amigas seria a primeira experiência com mochila nas costas fazendo trekking, comprei os pacotes na FantasticoSur para ficarmos nos refúgios dentro do parque durante o roteiro, com as 3 refeições diárias incluídas, além do transporte de ida e volta de ônibus e de barco – Puerto Natales/Parque Torres del Paine. Depois, pesquisei para ver o que havia a mais para fazermos, aproveitando que já estaríamos por lá.

Incluí na lista, então, restaurantes bem recomendados por amigos e em guias e a visita à Isla Magdalena – para vermos sua população de mais de 120 mil pinguins. Teríamos, então, duas noites para ficarmos em Puerto Natales e mais um dia em Punta Arenas. Naturalmente que já saímos daqui com todas as reservas feitas e com disponibilidade de tempo, ainda que curto, para incluirmos alguma coisa nova que surgisse enquanto estivéssemos por lá. E foi o que aconteceu, pois a Cueva del Milodón não estava no programa inicial.

Quando viajo, geralmente procuro fazer o máximo possível naquela área, pois não sei se e quando voltarei lá.

Subir e descer os 400 degraus da garagem do meu prédio ao andar 23, onde moro, fez parte do treinamento para o trekking - Foto: Amandina Morbeck.

Subir e descer os 400 degraus da garagem do meu prédio ao andar 23, onde moro, que tem essa vista de São Paulo, fez parte do treinamento para o trekking – Foto: Amandina Morbeck.

Comprei nossas passagens aéreas São Paulo/Punta Arenas/São Paulo (com conexão em Santiago) e, com a data marcada para a viagem, intensifiquei minhas atividades físicas, pois os músculos das pernas, das nádegas e das costas, principalmente da lombar, são muito exigidos num trekking em terreno irregular com subidas e descidas. Sedentarismo ou pouco preparo físico não combina com atividades mais intensas em lugares inóspitos. Falei para as minhas amigas fazerem a mesma coisa.

Guia Circuito W - Torres del Paine, Chile - Amandina Morbeck.Na noite anterior à partida, arrumei minha mochila com o mínimo necessário, deixando-a com 10 kg, incluído o peso dela (clique aqui e veja o que levei).

No iPhone, usei o aplicativo Evernote para as anotações de endereços dos lugares onde ficaríamos hospedadas, de restaurantes e de cafés, mapas das duas cidades e do Parque Torres del Paine com o roteiro do trekking, além do mapa altimétrico da trilha, e números de telefones de emergência. Ele é muito prático e fácil de mexer e separei tudo por assunto/local. Mas como sou prevenida, as informações mais importantes também anoitei em meu Moleskine, que uso como diário de viagem. Equipamentos eletrônicos podem pifar, a bateria pode acabar e não ter como carregar etc.

Evernote no iPhone, com as informações da viagem - Foto: Amandina Morbeck.

Evernote no iPhone, com as informações da viagem – Foto: Amandina Morbeck.

Leia também:
Brasileiro morreu em Torres del Paine
Agendamento para acampamentos em Torres del Paine

Com tudo pronto e muita ansiedade, finalmente chegou a hora de embarcar – dia 11/1/2013 às 16h30 – num voo saindo do aeroporto de Guarulhos. Nesse mesmo aeroporto, aterrissamos de volta no dia 19 às 13h, megacansadas, mas com o coração superfeliz, com inúmeras lembranças maravilhosas, muitas histórias para contar e, para mim, ainda extasiada com tanta beleza natural num só lugar. Na verdade, o mais lindo que já visitei até hoje.

Torres do maciço Paine - Foto: Amandina Morbeck.

Torres do maciço Paine – Foto: Amandina Morbeck.

O que vivenciei nesses dias superou todas as minhas expectativas. Espero que você curta meu relato e que, se e quando puder, que vivencie tudo aquilo também. Nos posts abaixo, você verá como foi o trekking e todas as outras coisas que aconteceram.

Leia também: Sua mala pode ser facilmente aberta mesmo com cadeado

(Texto e fotos: Amandina Morbeck)


Observação: Se tiver intenção de visitar esse lugar, confirme as informações na época de sua viagem, pois com o passar do tempo (desde a publicação deste post) muitas coisas podem mudar.


Receba nossas novidades por e-mail. Para isso, é só preencher seus dados abaixo e clicar em “Enviar”. Ficaremos contentes de ter você em nossa lista!


Posts relacionados (clique nos títulos para acessá-los):

– Finalmente, o Circuito W em Torres del Paine, Chile

– O que levei para fazer o trekking no Circuito em Torres del Paine, Chile

– Como chegar a Torres del Paine, Chile

– Circuito W, Torres del Paine, Chile – Geral  (Dia 1 / Dia 2 / Dia 3 / Dia 4)

– Os refúgios ao longo do Circuito W em Torres del Paine, Chile

– Cueva del Milodón, Puerto Natales, Chile

– Isla Magdalena, Punta Arenas, Chile

– Puerto Natales e Punta Arenas, Chile

 

Restaurantes, bar e café que recomendo na Patagônia Chilena:

– Afrigonia – Puerto Natales, Chile

– Angelica’s – Puerto Natales, Chile

– El Living – Puerto Natales, Chile

– Baguales – Puerto Natales, Chile

– Café Ñhandu – Puerto Natales, Chile

– La Marmita – Punta Arenas, Chile


Comments

comments

Comente este post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *